COMO LIDAR COM AS BIRRAS DA CRIANÇA

Compartilhe nas Redes Sociais e WhatsApp

A birra acontece porque a criança ainda não tem maturidade suficiente para lidar com uma determinada
frustração e acaba explodindo. Essa explosão vem em forma de choro incontrolável, gritos e aquela
movimentação intensa difícil de conter. Na verdade, em algumas situações, as crianças estão testando o limite dos pais para descobrir até onde podem chegar. Outras vezes, a birra é apenas um pedido de ajuda para lidar com um sentimento novo que é a frustração. E outras, ainda, pode ser um sinal de que algo não vai bem no desenvolvimento dessa criança.

Qual é a idade mais comum da birra?

Geralmente a birra surge entre 2 e 4 anos, mas podemos ver este comportamento em crianças mais jovens e também naquelas mais velhas. É nessa idade que as crianças testam os limites dos pais e diante da frustração de um NÃO, choram, esperneiam, gritam, se jogam no chão. Tudo isso porque não aprenderam a lidar com essa sensação. Muito desse comportamento depende tanto do tipo de criação/educação que a família dá, como também da personalidade da criança.

Como lidar com o ataque?

Infelizmente, não existe uma fórmula infalível que resolva rapidamente esta questão. Tudo depende da criança, da idade e da situação. Mas algumas dicas podem ajudar nesse desafio. Primeiro de tudo, pense se vale a pena entrar nessa batalha com a criança. Ela realmente está exagerando? Está pedindo algo que já tem, ou está irritada, com sono ou fome, está calor demais? Muitas vezes, elas precisam de um lugar mais tranquilo para dormir ou se alimentar, ou simplesmente estar. Avaliar e antecipar situações que acabem na birra é fundamental para manter a paz em casa e em outros lugares. É importante que o adulto responsável pela criança não seja permissivo, ou seja, permita que a criança faça tudo e dite as regras para a casa. A hierarquia na relação pais e filhos deve ser estabelecida desde cedo, de forma clara e consistente. Muitos problemas que as famílias geralmente passam, possuem causas na forma como se relacionam com seus filhos e nas formas como lidam com as situações.
É fato que a criança aprende formas de manejar os adultos de acordo com seus interesses e a partir da forma como o adulto se posiciona diante da criança.

Existe alguma dica que pode ajudar a família a lidar e a combater a birra?

  • Se a criança estiver em um lugar perigoso, retire-a de lá imediatamente, não importe a intensidade do choro dela.
  • Mantenha a calma. Não esqueça que você serve de modelo para seu filho e quanto mais calmo ficar, mais rápido a situação vai se resolver.
  • Não grite. Tente manter a calma! A criança ajusta o tom do choro e dos gritos a partir do comportamento do adulto.
  • Nunca, jamais, bata no seu filho. Corremos o risco de, no momento de descontrole, machucar a criança,
    mesmo sem querer.
  • Desvie o foco da criança. Como ela está nervosa, evite conversar muito na hora. Melhor falar menos e agir mais. Até os 5 anos, a criança não consegue manter a concentração nas palavras por mais de 30 segundos, antes mais estando nervosa.
  • Quando perceber que ela se acalmou, dê um abraço bem gostoso para mostrar a ela que está tudo bem! E converse! Explique a ela tudo o que aconteceu, mostrando o que ela fez e como pode resolver a questão da próxima vez, de forma mais positiva.

Existem outras questões que podem ajudar a evitar ou a controlar a birra?

Já havíamos falando em programas anteriores que toda criança precisa de rotina, o que acaba favorecendo a organização comportamental da mesma. Assim, a criança gosta de saber o que vai acontecer, o que pode e não pode fazer. Dá segurança e é transmissão de afeto. Isso vale para as situações mais cotidianas, como tomar banho, jantar e ir para a escola. Para isso acontecer, a família toda precisa se organizar. Para manter as regras é fundamental também facilitar para que elas sejam cumpridas: se você quer que ele sempre se comporte em um lugar público, não vai deixá-lo horas sentado em um restaurante cheio ou esperar que ele fique calminho em uma fila de banco ou em outras situações em que qualquer criança não irá se comportar como um adulto, porque são apenas crianças!

Falar o ‘Não’ também é importante e fundamental!

O que fazer se a birra persistir e a família não conseguir resolver a questão?

Caso a criança que você tem ultrapasse os 6 anos ainda tendo ataques de birra constantes, é melhor procurar a ajuda de um especialista (psicólogo por exemplo). Pode ser que ele esteja sofrendo com algum problema ou acontecimento recente. Mudança de casa, de escola, a morte de um parente querido ou de animal de estimação, a separação dos pais e até mesmo a falta de diálogo em casa podem atrasar o desenvolvimento da criança. Essa é uma das formas de ele pedir ajuda, mas também pode ser indicativo de alguma outra questão que precisa ser investigada com mais detalhe e cuidado.